5.10.09

Que Saudades do Cine Teatro Águia

Daquele tempo sinto saudades do famoso Cine Teatro Aguia que era o local de um ambiente salutar de diversões da mocidade, em que eu e os meus amigos de infancia, porém hoje já adultos e com as respectivas mulheres, divertíamo-nos nas tardes de matiné em telas gigantes.
Entretanto, a mocidade actual sente-se privada desse privilégio em detrimento do cinema que hoje é um covil de ratos, manguços, cobras, caracóis, morcegos e aranhas bem como as teias que se transformaram na grande tela assistida pelos ancestrais dos actuais habitantes dessa muralha. Mas naquele tempo, não eram mulheres que tínhamos, eram namoradinhas e por todos os bairros da nossa cidade de Quelimane; nós sentíamos prazer de vê-las brigar, assim, sim, nós éramos famosos.
Mas tudo isso já não existe! Os meus amigos dispersaram-se, as namoradinhas hoje umas são mães casadas e outras mulheres desamparadas e o cine águia parece um aborto perdido no tempo.
Aquele nosso cine hoje já não tem o chapéu que o protege da chuva e do sol. O nosso águia já não tem de fora as pipocas e o amendoim torrado a venda para disfarçar o cansaço de estar sentado em cadeiras que hoje transformaram-se em esconderijos dos bichos acima citados.
O desmoronar daquele edifício deve-se a falta de uma política económica e empresarial do nosso governo doentio, que não consegue enxergar que o águia está numa zona privilegiada e já foi o cartão-de-visita da nossa cidade.
Aquele monumento que vemos só a parte externa e que a Mcel estampou um enorme poster na parte frontal, está oco por dentro. Um velho ditado diz: “ O homem desorganizado só se lembra de lavar a cara, mas se esquece de lavar o rabo.”
Certo dia, alguém me disse: “a merda é a mesma o que mudam são as moscas,” é assim a formação do nosso governo; deste modo dá para concluir que: mosca sai, mosca entra e a merda continua.
Se a elite actualmente no poder se preocupasse com o desenvolvimento desta nação, com particular realce para a modesta cidade de Quelimane, não se importaria em injectar um capital com vista a restruturar aquele que é um dos maiores monumentos da cidade.
Actualmente fala-se muito da sida. Acusam os jovens de comportamentos poucos saudáveis e de serem o expoente máximo da transmissão do HIV.
Hora veja: como é que os jovens não vão abusar o álcool, sexo, a droga, etc..., se não existem locais onde esses mesmos jovens possam se divertir e os únicos que existem são nocturnos onde muito se fomenta todas as práticas ilícitas, sob o olhar impávido e sereno dos pacóvios “cinzentinhos”, que se deixam corromper por um maço de cigarros?.
Naquele tempo sim, não haviam brincadeiras de mau gosto, eram namoricos de simples beijinhos e de ofertas de caramelos dentro do cine teatro águia. Mas hoje são fornicadas nos muros, nas casas de banho das discotecas, tascas e barracas e ainda por cima instaladas por um concelho municipal composto de parasitas gigantes com dentes por todos os cantos, que nem se quer deixam escapar um quinhão que seria para os outros.
Para agravar ainda mais a estética daquele local em plena Av. Eduardo Mondlane, o jardim infantil foi vendido e transformado num armazém de arquitectura medíocre para venda de bebidas alcoólicas e desamparando as crianças de Quelimane que já nem sequer sabem o que é um parque infantil.
A questão que se coloca é:
Será preciso que Quelimane volte ao estatuto de distrito para ser pólo de desenvolvimento e beneficiar dos tão propalados sete milhões para mudar a cara?

10 comentários:

Graça Pereira disse...

Fiquei numa dúvida. Então Quelimane já não é capital de Distrito?
Qualquer dia, vou ler que ,pura e simplesmente, desapareceu do mapa!!!
Graça

RjL disse...

Com a reorganização administrativa é simplesmente capital provincial.

ellen disse...

lolol... será sempre a minha capital!

Um abraço

Felicidade disse...

Sou natural de Alto Molocué na Zambézia nunca conheci porque o meu pai trabalhava nos caminhos de ferro e andávamos sempre a saltitar de um lado para o outro, mas pelo que tenho estado a ler aquilo está numa tristeza tamanha infelizmente... eu amo Moçambique e adoraria ainda lá poder voltar um dia, embora muitos me digam para guardar a recordação linda do que era!!!
Abraço

Anónimo disse...

Pois eu acho que deveria voltar. Sem procurar o passado mas olhando somente para o presente. Verá que lá, encontrará um futuro.
Tenho ido e só lamento não ir mais ainda.

abraço

Jorge Leite

Helder Felizardo Augusto disse...

Obrigado Manuel de Araujo e parabens pelo site. Os meus parabens endereco aos meus tres grandes amigos que escreveram este artigo. Quero confessar que se esperarmos que o "Suposto governo" faca algo para criar boas condicoes, a nossa comunidade acabara se conformando eternamente com a pobreza. Facamos nos a diferenca e voluntariamente trabalhemos pelo bem estar da sociedade.

Abracao e muitas felicidades...

Helder Felizardo Augusto- Mwana Mutxuabo

Anónimo disse...

...AS FOTOS ACTUAIS DO CINE TEATRO AGUIA FORAM TIRADAS POR MIM...ESTA DE PARABENS O SITE...MAS AS FOTOS FORAM TIRADAS POR MIM....JAHANGUIR HUSSEN

Anónimo disse...

Eu voltarei para dividir ideias com os que ainda estando la acreditam que quelimane pode sim mudar. E ja ha uma força jovem com ideias de cambios para uma cidade de sonhos...Se o Rio dos bons sinais um dia secar, as minhas esperaças se manteram vivas ainda que isso no acontesa...Manuel we can make our home a place to be and shareble for chuabos their friends, mozambicans and international guests...Força!!

Anónimo disse...

Eu voltarei para dividir ideias com os que ainda estando la acreditam que quelimane pode sim mudar. E ja ha uma força jovem com ideias de cambios para uma cidade de sonhos...Se o Rio dos bons sinais um dia secar, as minhas esperaças se manteram vivas ainda que isso no acontesa...Manuel we can make our home a place to be and shareble for chuabos their friends, mozambicans and international guests...Força!!

jose gonçalves disse...

conheci Quelimane como a cidade mais limpa de Moçambique e fui centenas de vezes ao águia ao ver estas fotosé para mim muito triste